fbpx

Câncer de colo de útero: Papanicolau é indicado para diagnóstico precoce

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, o câncer de colo do útero é o terceiro tumor mais frequente entre as mulheres, mas existe tratamento.

Dessa forma, quanto antes ele for descoberto, mais facilmente será tratado e maiores são as possibilidades de cura.

Assim como em outras doenças, em seu estágio inicial, o câncer de colo do útero não apresenta sintomas, por isso é fundamental que as mulheres mantenham uma rotina de exames preventivos.

O principal exame é o Papanicolau, que é simples, rápido e indolor.

A rotina de visita ao ginecologista deve ter início a partir da primeira menstruação da mulher e, de forma geral, os exames preventivos acontecem após o início da vida sexual.

Mas o ideal é que, para a prevenção do câncer de colo do útero, a mulher tenha um médico de sua confiança, que acompanhe seu quadro de saúde, e poderá indicar quando e com qual intervalo ela deve fazer os exames.

O mais comum é que o câncer de colo do útero surja a partir da evolução de uma infecção genital persistente, que costuma ter o Papilomavírus Humano (HPV) como fator causador.

Por isso é tão importante o uso da vacina contra o HPV, que é disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sendo indicada para meninas entre 9 e 14 anos e meninos entre 11 e 14 anos.

Ademais, também faz parte da prevenção do câncer de colo de útero o uso de preservativo, as chamadas camisinhas, feminina e masculina, durante as relações sexuais.

Outros fatores de risco que podem deixar a pessoa mais vulnerável a desenvolver um câncer de colo de útero são:

  • Tabagismo – consumo de cigarro e outros produtos de tabaco;
  • Uso prolongado de pílulas anticoncepcionais, especialmente se não tiver um acompanhamento médico;
  • Início precoce da vida sexual e relação com vários parceiros.

Mantenha hábitos saudáveis, pois eles irão proteger sua saúde de forma geral.

Sintomas do Câncer de Colo de Útero

Alguns sintomas que merecem atenção e necessitam da avaliação de um especialista, o mais rápido possível, pois podem indicar um câncer de colo de útero são:

  • Sangramento vaginal que aparece e desaparece, sem um motivo aparente;
  • Sangramento vaginal após manter relações sexuais;
  • Sangramentos após ter entrado na menopausa;
  • Fluxo menstrual aumentado;
  • Dores durante a relação sexual;
  • Dores abdominais e pélvicas, especialmente com alterações urinárias ou intestinais;
  • Secreção vaginal incomum.

Diagnóstico e Tratamento

Se houver indícios de um possível câncer de colo de útero, especialmente após uma alteração do Papanicolau, para ter certeza do diagnóstico é comum o pedido de exames complementares.

Entre eles estão:

  • Exames clínicos como o toque vaginal e retal;
  • Colposcopia, que visualiza o colo de útero com o uso do colposcópio, que é capaz de detectar lesões na região;
  • Biópsia, onde se faz a retirada de uma pequena amostra de tecido para análise.

Contudo, com diagnóstico positivo para câncer de colo do útero, cada caso deve ser avaliado de forma individual, onde a equipe médica e paciente vão optar pelo melhor tratamento. Cirurgia para remoção do tumor, quimioterapia e radioterapia estão entre as opções mais utilizadas.

Cuide da sua saúde e lembre-se: o câncer de colo de útero pode ser curado, especialmente quando diagnosticado no estágio inicial.

Fontes – Instituto Nacional de Câncer; Oncoguia; G1; e Sociedade Brasileira de Patologia

Conheça nossas Redes Sociais:

Instagram | Facebook | LinkedIn

Conheça outros textos do nosso blog, clique aqui.