fbpx

Quando as temperaturas diminuem, as alergias respiratórias aumentam

Com a chegada de uma estação fria, é comum observarmos um aumento nos casos de alergias respiratórias. O principal motivo para isso é a combinação do tempo seco com o ar frio.

Visto isso, a irritação das vias aéreas é uma consequência natural, e aqueles que sofrem de alergias respiratórias já sabem que é apenas uma questão de tempo para que os sintomas se manifestem.

Os sintomas mais comuns incluem prurido (coceira) no nariz, espirros, coriza, tosse, nariz entupido, sensação de ouvido entupido, garganta irritada, irritação nos olhos e falta de ar.

Uma dúvida frequente é: como diferenciar uma crise alérgica de uma gripe ou resfriado? Para aqueles familiarizados com os sintomas das alergias respiratórias, a diferenciação é geralmente fácil.

No entanto, se você estiver em dúvida, lembre-se de que infecções geralmente vêm acompanhadas de indisposição, mal-estar e febre.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, 35% da população brasileira sofre de algum tipo de alergia, sendo muitas delas alergias respiratórias.

É importante ressaltar que o clima não é o único desencadeador dessas alergias, uma vez que agentes como ácaros, mofo, fungos, pêlos de animais e pólen de flores também desempenham um papel significativo.

Para evitar crises de alergias respiratórias ou reduzir sua frequência, aqui estão algumas ações que podem ajudar:

  • Mantenha os ambientes bem arejados.
    Embora as temperaturas mais baixas levem muitas pessoas a fechar as janelas, é fundamental garantir a ventilação adequada dos ambientes para prevenir alergias respiratórias.
  • Aproveite a luz solar.
    Se o ambiente receber luz solar em algum momento do dia, abra janelas e cortinas para permitir que o sol entre. Isso ajuda a afastar ácaros e mofo.
  • Evite itens que acumulem poeira.
    Itens como bichos de pelúcia, tapetes, cortinas e almofadas podem ser propícios para o acúmulo de poeira e ácaros. Se você deseja mantê-los, opte por materiais antiácaros e mantenha-os bem higienizados.
  • Prefira aspirador de pó e pano úmido.
    Em vez de usar vassouras, que tendem a fazer a poeira subir no ar, opte por aspiradores de pó e panos úmidos para limpeza.
  • Encape colchões e travesseiros.
    Proteja colchões e travesseiros com materiais impermeáveis e prefira travesseiros de espuma ou fibra.
  • Lave roupas de cama regularmente.
    Certifique-se de trocar roupas de cama e cobertores com regularidade. Lave-os e seque-os ao sol ou com ar quente na secadora.
  • Exponha roupas de inverno ao sol.
    Se você deixou as roupas de inverno guardadas o ano todo, exponha-as ao sol antes de usá-las para afastar ácaros e alergias respiratórias.
  • Evite ambientes com fumaça ou poluição.
    Evite fumar, estar em locais com fumantes e alta poluição.
  • Mantenha-se hidratado.
    Não deixe de beber água mesmo no frio. A lavagem nasal com soro fisiológico também ajuda a prevenir alergias respiratórias.
  • Limpe o ar condicionado.
    Faça a manutenção adequada do filtro e dos dutos do ar condicionado para evitar a disseminação de ácaros.
  • Considere vacinas.
    Inclua vacinas, como a da gripe e pneumonia, em sua rotina para melhorar sua saúde respiratória.

Para quem sofre regularmente de alergias respiratórias, o controle envolve tanto o cumprimento dessas medidas quanto o uso de medicação específica. Recomenda-se seguir as orientações de um médico que já acompanha seu caso.

Se você ocasionalmente enfrenta crises alérgicas e ainda não consultou um alergista, considere buscar orientação para obter uma melhor qualidade de vida.

Além de avaliar os sintomas do paciente, o profissional pode solicitar testes específicos para um diagnóstico preciso e recomendar o tratamento mais adequado.

Os espirros são comuns durante as crises de alergias respiratórias e, ao espirrar, é importante proteger a boca, especialmente em locais públicos ou próximos a outras pessoas.

O espirro é uma maneira natural de eliminar impurezas que tentam invadir o organismo. Evitar segurar o espirro é importante, pois a pressão do ar pode se distribuir entre os ouvidos, faringe e nariz, e um espirro muito forte pode causar o rompimento de vasos sanguíneos e até do tímpano.

As principais alergias respiratórias são:

  • Rinite: inflama a mucosa do revestimento nasal tendo os espirros e a coceira do nariz como uma das principais características, trazendo também corrimento nasal e diminuição do olfato.
  • Sinusite: que pode ser aguda ou crônica, causando um processo inflamatório que se inicia no nariz. Os casos crônicos tem a dor nos seios da face, onde se formam pólipos, como uma das características.
  • Rinossinusite: inflamação da mucosa da cavidade nasal e dos seios paranasais.

Se as crises trouxerem muitos incômodos, onde a medicação de rotina e os cuidados parecem não fazer efeito, busque por atendimento médico!

Fontes: Associação Brasileira de Alergia e Imunologia; Superafarma; Tua Saúde; e Hospital Paulista.  

Conheça nossas Redes Sociais:

Instagram Facebook LinkedIn

Conheça outros textos do nosso blog, clique aqui.