fbpx

SALVANDO VIDAS: O PODER DA CORRETA HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS

A DESCOBERTA HISTÓRICA

A importância da higienização das mãos foi descoberta no século 19 pelo médico húngaro Ignaz Semmelweis, ao observar um aumento nas mortes de mulheres após o parto.

Ele percebeu que as infecções que as mulheres apresentavam no pós-parto estava ligada à falta de higiene das mãos dos médicos, que não as lavavam adequadamente após as necrópsias.

Foi após essa descoberta que se implantou a correta higienização das mãos, com a assepsia. Os casos de mortes diminuíram consideravelmente e outros pacientes também ficaram mais protegidos.

OS RISCOS DE IGNORAR A HIGIENIZAÇÃO

Quando falamos em higienização das mãos, falamos desde a lavagem feita com água e sabão, até o uso de álcool em gel e soluções.

O ato de lavar as mãos frequentemente é fundamental, visto que usamos as mãos para quase tudo que fazemos e a nossa pele acaba servindo como morada para micro-organismos.

Muitas vezes, sem perceber, tocamos nossos olhos, nariz e boca, representando um risco à saúde. Por isso, manter a higienização das mãos é cuidar de nossa própria saúde e da saúde dos outros.

A Organização Mundial de Saúde destaca que 40% das doenças, como a diarreia, poderiam ser evitadas se todas as pessoas mantivessem as mãos limpas. Apesar disso, muitas pessoas esquecem de realizar esse ato simples com frequência.

O DIA A DIA DA HIGIENIZAÇÃO

Você faz a higienização das suas mãos após:

  • Usar transporte público?
  • Usar carros de aplicativo?
  • Tocar em maçanetas de portas?
  • Usar o caixa eletrônico?
  • Tocar no corrimão de escadas?
  • Tocar em estruturas onde várias pessoas colocam as mãos?
  • Usar o banheiro?
  • Espirrar, tossir ou assoar o nariz?
  • Brincar com animais?
  • Colocar o lixo na lixeira?
  • Antes de se alimentar?
  • Antes e após visitar pessoas doentes – ou até mesmo cuidar de algum ferimento em você ou em outra pessoa?

Cuidado: sua falta de higienização coloca sua saúde em risco!

HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS: EM CASA E FORA  

A regra é clara: se você tocou em objetos que outras pessoas também tocam, deve higienizar as mãos para evitar problemas, desde resfriados até doenças mais graves, como a COVID-19 e hepatite A.

Não se esqueça também de higienizar as mãos dentro de casa, pois mesmo os ambientes com pouca circulação de pessoas podem abrigar ameaças invisíveis.

ÁLCOOL OU ÁGUA E SABÃO?

Uma dúvida comum na hora de fazer a higienização das mãos é se existe diferença entre usar álcool ou água e sabão, e qual seria mais eficiente.

Ao usar água e sabão/sabonete, os micro-organismos são cercados pelas moléculas do sabonete, que quebram os elos de gordura presentes nos vírus e, assim, são eliminados.

O mesmo acontece com uso de álcool, mas é preciso que ele tenha uma concentração maior, por isso é indicado o 70%.

Ou seja, ambos têm eficiência igual para a luta contra os germes e bactérias.

Porém, nos casos onde existe uma sujeira aparente, o mais indicado é a combinação de água e sabão.

Outra dúvida comum é se existe a necessidade de usar um sabonete antibacteriano para a higienização das mãos, mas um sabonete comum é o suficiente para o dia a dia!

GUIA PASSO A PASSO PARA A HIGIENIZAÇÃO

Para uma higienização adequada, siga os passos: molhe as mãos, aplique sabão, esfregue palmas, dorso, entre os dedos, polegar, unhas e punhos por cerca de 40/50 segundos. Enxágue bem e seque com toalha descartável ou individual, mantendo a torneira fechada para economizar água.

Lembre-se de que o processo é semelhante para o álcool em gel, mas não requer água nem secagem, já que o álcool evapora rapidamente.

Portanto, mantenha o hábito de higienizar as mãos, protegendo sua saúde e a de outras pessoas.

Fontes: MD Saúde; Brasil Escola; Hospital ProntoCardio; SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina; e Hospital Sírio Libanês. 

Conheça nossas Redes Sociais:

Instagram Facebook LinkedIn

Conheça outros textos do nosso blog, clique aqui.