fbpx

Síndrome de Burnout: a exaustão profissional pode causar danos à sua saúde

A síndrome de Burnout, também conhecida como síndrome do esgotamento profissional, é um estado de exaustão física, emocional e mental decorrente do estresse crônico no trabalho.

Ela não é classificada como uma doença, mas sim como um fenômeno relacionado ao estresse. 

No entanto, é reconhecida como um problema de saúde ocupacional e pode ter sérias consequências para o bem-estar físico e mental.

Os sintomas da síndrome de Burnout podem variar, mas geralmente incluem:

  • Fadiga extrema – sentir-se constantemente cansado, mesmo após períodos de descanso adequados.
  • Desmotivação – perda de interesse ou motivação para realizar tarefas no trabalho ou em outras áreas da vida.
  • Falta de energia – sensação de esgotamento físico e emocional.
  • Dificuldade de concentração nas tarefas e tomadas de decisões, bem como manutenção do foco. 
  • Tornar-se facilmente irritado, impaciente ou frustrado, muitas vezes em situações que normalmente não causariam essa reação.
  • Dificuldade em dormir, insônia ou outros distúrbios do sono.
  • Mudanças nos hábitos alimentares, como perda ou ganho de peso não intencionais.
  • Dores de cabeça, dores musculares ou outros sintomas físicos sem causa médica aparente.
  • Sentimento de ineficácia no trabalho, com uma queda no desempenho e na produtividade.

Se você identificar esses sintomas em si mesmo ou em alguém que conhece, é recorrer a um auxílio médico. 

 

Os registros da síndrome de Burnout estão aumentando nos últimos anos, em muitas partes do mundo, e isso é atribuído a uma combinação de fatores, incluindo mudanças nas condições de trabalho, pressões econômicas e uma maior conscientização sobre a saúde mental.

Quanto ao risco maior entre homens ou mulheres, pesquisas sugerem que ambos podem ser afetados, e não há uma diferença significativa de gênero em termos de prevalência.

No entanto, os fatores específicos que contribuem para o Burnout podem variar entre os sexos devido a diferentes expectativas sociais e papéis, no trabalho e na vida pessoal.

 

O que causa a síndrome de Burnout? 

A síndrome de Burnout pode ser influenciada por uma combinação de fatores, incluindo:

  • volume intenso e constante de trabalho, muitas vezes com prazos apertados; 
  • a sensação de falta de controle sobre o trabalho, ou a incapacidade de tomar decisões, pode contribuir para o estresse crônico; 
  • condições de trabalho adversas, falta de apoio da equipe ou liderança ineficaz podem desencadear o Burnout; 
  • quando há uma discrepância significativa entre os valores pessoais e as demandas do trabalho, isso pode levar à exaustão; 
  • a ausência de feedback positivo e recompensas pelo trabalho realizado pode contribuir para a desmotivação; 
  • conflitos no ambiente de trabalho ou a falta de suporte social podem aumentar o risco; 
  • pressões para atingir metas inatingíveis, ou padrões excessivamente altos, podem criar um ambiente desencadeador para o problema; 
  • dificuldade em desconectar do trabalho durante o tempo livre pode levar a uma sobrecarga constante; 
  • instabilidade no emprego, ou o medo de perder o emprego, podem contribuir para níveis elevados de estresse; e 
  • a falta de recursos adequados, como tempo, equipamentos ou pessoal, pode sobrecarregar os profissionais e contribuir para o Burnout.

 

O reconhecimento precoce dos sinais de Burnout, e a implementação de estratégias de prevenção, são fundamentais para manter a saúde mental no ambiente de trabalho.

 

Busque ajuda 

Se você está passando por um momento de exaustação profissional, busque ajuda antes que aconteça uma piora no quadro geral de saúde. 

Consultar um médico, psicólogo ou psiquiatra é o primeiro passo para obter orientação e apoio.

Compartilhar seus sentimentos com um supervisor, ou o departamento de recursos humanos, pode ser útil.

Busque apoio de amigos e familiares, que poderão ajuda-lo a passar mais facilmente por esse momento difícil, oferecendo um sistema de acolhimento importante.

A terapia psicológica, como a cognitivo-comportamental, pode ajudar a abordar os padrões de pensamento e comportamento relacionados ao Burnout.

Avalie seu equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, estabeleça limites saudáveis e incorpore atividades relaxantes e prazerosas em sua rotina.

 

Como tratar a síndrome de Burnout 

A abordagem para lidar com o Burnout geralmente envolve intervenções psicológicas, mudanças no ambiente de trabalho e estratégias de gestão do estresse.

O objetivo do tratamento é aliviar os sintomas, melhorar a qualidade de vida e prevenir a recorrência. 

Para isso são indicados: 

  • terapia, que pode ajudar a identificar e mudar padrões de pensamento e comportamento que contribuem para o Burnout; 
  • solicitar, junto aos supervisores, ajustes no trabalho, como a redistribuição de tarefas, redução de carga horária ou mudanças nas responsabilidades; 
  • aprender a estabelecer limites saudáveis entre trabalho e vida pessoal, o que pode envolver a definição de horários de trabalho específicos, evitar levar trabalho para casa e dedicar tempo a atividades de lazer; 
  • ter uma rede de apoio para compartilhar seus sentimentos; 
  • incorporar hábitos saudáveis, como exercícios regulares, boa nutrição e sono adequado, pode fortalecer a resiliência e melhorar o bem-estar geral; 
  • tirar férias ou períodos de descanso é importante para recarregar as energias e desconectar-se do trabalho; 
  • avaliar e ajustar metas e prioridades pode ajudar a reduzir a pressão e o estresse associados ao trabalho; e
  • em alguns casos, um profissional de saúde mental pode prescrever medicamentos para ajudar a aliviar sintomas como ansiedade ou depressão associados ao Burnout.

 

Previna o Burnout 

A prevenção contínua e a manutenção de um estilo de vida saudável são fundamentais para evitar recorrências. 

As empresas e organizações estão, cada vez mais, reconhecendo a importância de criar ambientes de trabalho saudáveis e promover o equilíbrio entre vida profissional e pessoal.

Veja algumas medidas que podem ajudar na prevenção do Burnout:

  • Avalie suas responsabilidades e estabeleça prioridades realistas. Não hesite em delegar tarefas quando possível e evite sobrecarregar-se.
  • Reserve tempo para cuidar de si mesmo, seja física, mental, emocional e até espiritualmente.
  • Aprenda técnicas de enfrentamento eficazes para lidar com o estresse, como meditação ou respiração profunda.
  • Cultive relações positivas no trabalho e fora dele. 
  • Se sentir que as demandas no trabalho estão se tornando excessivas, fale sobre com a equipe e busque alinhamento para aliviar a carga. 
  • Introduza pausas regulares durante o dia de trabalho para descansar a mente e o corpo, melhorando a produtividade e a concentração
  • Faça uma autoavaliação regular para verificar como você está lidando com o estresse e se há sinais precoces de Burnout e, caso entenda que sim, busque ajuda profissional o quanto antes. 

 

Fontes: Portal Drauzio Varella; Exame; Brasil Escola; CNN Brasil; Ministério da Saúde; e Terra.