fbpx
Varizes trazem a sensação de peso e queimação nas pernas.  Saiba como prevenir e tratar

Varizes trazem a sensação de peso e queimação nas pernas. Saiba como prevenir e tratar

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, aproximadamente 30% da população mundial têm varizes, entre essas pessoas 70% são mulheres e 30% homens.

As varizes são veias superficiais anormais, dilatadas, cilíndricas ou saculares, tortuosas e alongadas, caracterizando uma alteração funcional da circulação venosa do organismo.

As varizes surgem quando, as válvulas que ficam nas veias, evitando que o sangue volte para o pé ao ficarmos de pé, não funcionam bem. O sangue fica “parado” e as veias se dilatam.

Entre seus sintomas mais comuns estão: queimação, câimbra, inchaço, coceira e sensação de peso e fadiga nas pernas.

As varizes poder ser de pequeno, médio ou grande calibre e acometem especialmente as veias dos pés, pernas e coxas.

Em geral os sintomas melhoram com a elevação dos membros inferiores e pioram ao fim do dia, quando se permanece por longo tempo em pé ou sentado.

O calor, períodos próximos da menstruação ou durante ela e na gravidez, pioram os sintomas.

 

Prevenção

Prevenir o aparecimento de varizes depende de fatores comportamentais, veja alguns deles e tenha uma vida mais saudável:

  •   mantenha o peso equilibrado, obesos tem maior chance de ter varizes;
  •   faça exercícios físicos, especialmente aeróbicos, de forma rotineira;
  •   mantenha uma alimentação rica em fibras, o que evita a constipação intestinal e as varizes;
  •   evite ficar muito tempo parado, sentado, ou de pé, movimente-se;
  •   use meias elásticas de compressão graduada, fale com o seu médico.

 

Mito ou Verdade?

Fique atento aos mitos que envolvem o aparecimento das varizes.

Fazer musculação, cruzar as pernas, andar de salto alto, depilar as pernas com cera, não causa varizes.

Já o uso de anticoncepcional pode causar varizes, assim como outros medicamentos de reposição hormonal, pois eles podem influenciar os vasos sanguíneos e afetar a flexibilidade e resistência do vaso à pressão.

Além disso, o aparecimento de varizes está relacionado, entre outros fatores, a uma predisposição genética da pessoa. Ou seja, mesmo depois de tratadas com cirurgia, novas varizes podem surgir ao longo do tempo. É bom esclarecer que, não são as já tratadas que voltam, são outras que surgem.

 

Tratamento

Ao indicar o melhor tratamento, é preciso que o médico faça uma avaliação individual de cada caso.

A opção mais utilizada é a retirada das veias dilatadas, por meio de cirurgia.

Também são opções para o tratamento das varizes:

  •   Radiofrequência – as veias são queimadas por meio do aumento da temperatura, mas não removidas.
  •   Laser – semelhante à radiofrequência, gera um aquecimento menos perceptível ao paciente.
  •   Espuma esclerosante – é injetada uma substância tipo mousse, uma mistura de líquido e ar, que desativa a veia doente.
  •   Para microvarizes (vasinhos) utiliza-se, em geral, a escleroterapia, onde são feitas injeções de medicamentos no seu interior, e elas são absorvidas pelo organismo.
  •   Paciente que não querem ou não podem fazer tratamentos mais invasivos, podem fazer uso de medicamentos, meias elásticas e o repouso com elevação dos membros inferiores, sempre acima da linha do coração.

 

A Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular alerta que, ao se submeter à escleroterapia, é fundamental contar com acompanhamento médico capacitado.

Ao optar por fazer o procedimento com pessoas que não são médicos, as pessoas se colocam em risco, podendo ser vítima de uma trombose ou embolia pulmonar.

 

 

Palavra-chave – varizes

 

Fontes: Blog da Saúde/Ministério da Saúde; Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular; Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (regional – Rio de Janeiro); e Agência Brasil.