Fique atento: baixas temperaturas podem dificultar a circulação sanguínea

Fique atento: baixas temperaturas podem dificultar a circulação sanguínea

Estamos no inverno brasileiro, e embora ele não seja extremamente rígido e muito duradouro, na maior parte do país, em algumas localidades as temperaturas tendem a cair, tendo dias bastante frios, especialmente quando comparados ao cotidiano. Essa queda de temperatura pode levar a uma dificuldade da circulação sanguínea, especialmente para quem já apresenta doença arterial obstrutiva periférica.

A má circulação é caracterizada pela dificuldade do sangue passar pelas veias ou artérias, gerando sintomas como pés inchados, dor e varizes nas pernas e mãos frias.

A passagem do sangue é dificultada por placas de gordura, cálcio e pela própria degeneração da parede do vaso, e isso faz com que chegue menos sangue para as funções vitais, inclusive a manutenção da temperatura corporal, que atinge especialmente as extremidades do corpo. O frio também faz as artérias se contraírem.

 

Frio

Os sintomas visíveis mais comuns de quando estamos com frio são: tremores, que é a contração da musculatura de maneira involuntária, que garante a produção de calor; e piloereção, que é quando os pelos do nosso corpo ficam arrepiados, isso acontece como uma defesa para evitar a perda de calor, sendo que em animais esse mecanismo tem melhor resultado do que em humanos.

Já a dificuldade de circulação do sangue geralmente não é percebida assim, de forma tão imediata, diante do frio. Por isso, é fundamental estar bem protegido dele.

  •   Agasalhe-se bem, com meias, luvas e cachecol, se forem necessários.
  •   Se for praticar exercícios ao ar livre, mantenha-se agasalhado até que o corpo esteja bem aquecido.
  •   Não se exponha a variações bruscas de temperatura. Sempre que tiver que mudar ambiente, tente fazê-lo devagar, para que o corpo possa se acostumar.
  •   Ao praticar atividades físicas, reconheça os seus limites, gastar uma energia além do necessário não é recomendado.
  •   Na hora de se alimentar, prefira opções quentes e nutritivas. Caldos e sopas de legumes são uma opção. Chás naturais variados e sem açúcar, também podem ser uma boa pedida.
  •   Quem já faz uso de medicamentos para circulação, os chamados vasodilatadores, e mora em regiões muito frias, deve falar com o médico de confiança para possíveis ajustes da dose.

 

Má circulação

Você sabe quais os principais sintomas da má circulação sanguínea?

O sintoma inicial mais comum é a dor que aparece na panturrilha (batata da perna) quando a pessoa está em movimento, piorando quando se acelera o passo e melhorando ao voltar para o repouso. Essa dor pode vir acompanhada de mudança de coloração da pele que fica arroxeada ou pálida e da sensação de perna fria.

Também são sintomas comuns:

  •   Inchaço das pernas e pés;
  •   Dor, cansaço e sensação de formigamento nas pernas;
  •   Pés e mãos frias; e
  •   Varizes.

 

Faça exames de rotina e fale com o seu médico.

Prevenção

Algumas ações podem ajudar na prevenção, ou mesmo melhora, da circulação, a doença arterial obstrutiva periférica.

  •   Não fume.
  •   Tenha uma alimentação saudável. Evite gorduras animais e frituras e prefira legumes, verduras e peixe.
  •   Mantenha uma rotina de atividade física regular que trabalhe principalmente a musculatura da panturrilha.
  •   Evite ficar na mesma posição por muito tempo, seja sentado ou de pé. O ideal é que, a cada uma hora, se mude de posição, ou faça algum tipo de alongamento.
  •   Faça exames regularmente e controle as taxas de colesterol, triglicérides e glicemia.
  •   Use roupas e sapatos confortáveis. Evite cintas abdominais (a não ser por recomendação médica), roupas apertadas e meias com elásticos apertados, bem como sapatos muito altos.
  •   Evite o estresse, sempre que possível invista em atividades relaxantes.
  •   Fique atento ao seu histórico familiar e, caso se tenha casos de má circulação na família, é importante fazer uma avaliação com um médico especialista, mesmo que ainda não se tenha sintomas.

 

Fontes: Minha Vida (link – Saúde); Brasil Escola; Tua Saúde; e Brazil Health