Colesterol é essencial em nosso organismo, mas descontrolado causa risco de vida

Colesterol é essencial em nosso organismo, mas descontrolado causa risco de vida

O colesterol é essencial em nosso organismo. Ele produz hormônios como a vitamina D, testosterona, estrógeno, cortisol e ácidos biliares, que ajudam na digestão das gorduras.

Presente no coração, cérebro, fígado, intestinos, músculos, nervos e pele, o excesso de colesterol é prejudicial.

Quando o colesterol está com as taxas fora do indicado, aumenta o risco de desenvolver doenças cardiovasculares, já que pode formar placas de gorduras na parede das artérias dificultando o fluxo sanguíneo, ou obstruindo a passagem.

Quando as taxas de colesterol estão muito alteradas podem ocasionar infarto, AVC, complicações renais, síndrome coronariana aguda, angina e trombose.

Colesterol descontrolado causa risco de vida

De acordo com a Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção de Aterosclerose, as atuais referências para os níveis de colesterol são:

  • colesterol total desejável – abaixo de 190 mg/dl.
  • HDL colesterol desejável – acima de 40 mg/dl.
  • LDL colesterol desejável – até 130 mg/dl.

Bom e ruim

O HDL é chamado popularmente de colesterol bom. Ele retira o excesso de colesterol da circulação e o leva para o fígado.

O LDL é conhecido como colesterol ruim. Ele é o responsável por transportar o colesterol para os tecidos, facilitando a deposição de gorduras nos vasos sanguíneos, podendo entupi-los.

Um agravante é que níveis alterados de colesterol não apresentam sintomas, então é necessário fazer exames de sangue regulares para verificar se está tudo bem.

Tratamento

Segundo dados do Ministério da Saúde, o colesterol atinge aproximadamente 40% da população, e pode estar ligado a fatores genéticos, ou surgir como resultado de um estilo de vida pouco saudável.

O tratamento do colesterol envolve ter uma vida mais saudável e regrada, o que inclui: pratica regular de atividades físicas; deixar o tabagismo e o consumo de álcool; e manter uma dieta equilibrada.

Diminua consideravelmente ou retire da sua dieta: gorduras saturadas e trans que vem especialmente de biscoitos recheados, sorvetes, frituras, carnes vermelhas e gordurosas, bacon, queijos amarelos, chantilly, pele de aves, embutidos, etc.

Por outro lado invista no consumo de fibras como frutas e cereais, azeite de oliva, farelo de aveia e de trigo, cereais integrais, semente de linhaça, abacate e castanhas, que são fontes de antioxidantes, etc.

Como nem todo o descontrole do colesterol vem da alimentação (30% do colesterol vem do que ingerimos e os outros 70% são produzidos pelo fígado), em vários casos, além da mudança de hábitos é necessário também o uso de medicamentos, como estatinas e ezetimiba.

Mas lembre-se, apenas o seu médico poderá indicar qual o tratamento mais adequado para o seu caso.

Fontes: Sociedade Brasileira de Cardiologia; Blog da Saúde/ Ministério da Saúde; e R7 (link – Saúde).