fbpx
Dia Mundial do Idoso: cuidar dos nossos idosos com amor e respeito pela sua história

Dia 1º de outubro comemoramos o Dia Mundial do Idoso, uma data para lembrar da importância em cuidar dos nossos idosos com carinho, amor e, sobretudo, respeito pela sua história. Seguindo a ordem natural da vida, o envelhecimento é inerente ao ser humano e, hoje no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, a terceira idade representa 14,3% da população, já que para países em desenvolvimento, a OMS classifica como idosa a pessoa com mais de 60 anos. Em países desenvolvidos, a idade para entrar na fase idosa é de 65 anos.

Desde 2003, quando foi aprovada a Lei n° 10.741, o Estatuto do Idoso, muita coisa já mudou em relação à garantia dos direitos à saúde e bem-estar do idoso, mas os avanços ainda são pequenos diante das necessidades de cuidados que a idade avançada impõe.

Dia Mundial do Idoso

Um dos artigos do Estatuto, o 2°, prevê que todas as oportunidades e facilidades para a preservação da saúde física e mental e aperfeiçoamento moral, intelectual, espiritual e social, sejam garantidas. No art. 3°, está claro que “…é obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público, assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.

Se pararmos para pensar em tudo isso, chegamos à conclusão que nenhuma dessas palavras seriam necessárias como lei. Os cuidados com as pessoas que nos criaram, nos ensinaram e nos prepararam para a vida, deveriam ser comportamentos naturais e não obrigatórios.

Mas, infelizmente, sem o Estatuto, a situação seria bem pior, pois não haveria punição para os que praticam violência contra os idosos, que não é só a violência física, mas também a psicológica e a moral. O Estatuto inibe a ação de aproveitadores, que na intenção de tirar vantagens, enganam e roubam idosos indefesos.

Respeitar as pessoas idosas é tratar o próprio futuro com respeito, pois o envelhecimento deve ser encarado como uma oportunidade de transmitir conhecimentos adquiridos ao longo da vida e não como uma fase de perda de habilidades. Faça valer os direitos do idoso: cuide da saúde mental, do corpo, segurança e bem-estar do seu ente querido. Ele merece!

Fonte: OMS