Estudo da FIPE aponta que serviço de saúde domiciliar cresceu mais de 3600% em seis anos

Estudo da FIPE aponta que serviço de saúde domiciliar cresceu mais de 3600% em seis anos

Um estudo da FIPE – Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, encomendado pelo NEAD – Núcleo Nacional das Empresas de Serviço de Atenção Domiciliar, confirma o crescimento substancial do setor de serviço de saúde domiciliar na ultima década. Segundo o Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde (CNES), o número de empresas de serviços de atenção domiciliar isolado (home care) no Brasil saltou de 18, em julho de 2012, para 676 em julho de 2018. Isso representa um crescimento de 3656% do setor, para o período.

Isso se deve a um novo comportamento, quando falamos em cuidados com um paciente acamado, seja por uma enfermidade passageira, ou mesmo de forma estendida. O foco é investir no tratamento via home care, ou seja, cuidar do paciente em ambiente domiciliar, o que melhora sua qualidade de vida, por estar em local conhecido e ao lado dos seus entes queridos.

De acordo com dados da Federação Brasileira de Hospitais, atualmente são 4.400 hospitais particulares em todo o Brasil, isso significa 264 mil leitos. Se for considerada também a rede pública, o número de leitos disponíveis soma 409 mil. Isso significa que há dois leitos para cada mil habitantes. A Organização Mundial de Saúde recomenda de três a cinco leitos para cada mil habitantes.

Segundo esclarecimento do Blog da Saúde, do Ministério da Saúde, a redução de leitos hospitalares e sua substituição pela atenção ambulatorial ou domiciliar é uma tendência mundial, e se justifica como em casos onde o tratamento seja realizado fora do ambiente hospitalar.

Serviço de saúde domiciliar

“Uma pessoa doente sendo cuidada em sua residência, vai se sentir muito mais a vontade e a recuperação será melhor, com menos risco de infecção e mais facilidade para a família que, normalmente, tem que se locomover para o hospital, o que gera uma série de transtornos. Então ter essa assistência dentro de casa proporciona uma melhor recuperação”, destaca Sueli Noronha Kaiser, presidente do Grupo Cene, que atua com home care desde 1986.

Alguns especialistas apontam que, um dos fatores que justificam o crescimento do setor é a conscientização e comprovação do aumento do bem-estar dos pacientes.

Outra vantagem considerável é que a assistência domiciliar reduz a demanda por leitos hospitalares, que muitas vezes são insuficientes. Várias pessoas teriam condições de serem tratadas em suas casas, deixando os leitos de hospitais para os casos onde realmente é necessária a hospitalização.

“Oferecemos aos pacientes em residência uma melhor qualidade de vida, atendimento mais humanizado e mais seguro. Acredito que o que realmente falta é gestão para a desospitalização, levando o paciente ao hospital apenas quando ele precisar”, conclui a presidente do Grupo Cene.

Desospitalização

A desospitalização é uma forma de manter o cuidado com a pessoa em um ambiente que favoreça sua melhora de saúde, geralmente sua própria casa. Essa é uma tendência que tem ganhado espaço mundialmente.

O objetivo é reduzir o tempo dentro dos hospitais, auxiliando na qualidade de vida de quem está em recuperação, bem como de seus familiares.

É fundamental ressaltar que o hospital é muito importante, e o lugar mais ideal para pacientes de alta complexidade, que realmente precisam estar no hospital. Para os pacientes que não têm que estar no hospital existe o hospital de transição e home care.

Para que a continuidade do tratamento em recindo domiciliar tenha sucesso é necessário contar com assistência especializada, seja por acesso a alguns equipamentos, bem como pelo acompanhamento de profissionais da saúde.

Através da desospitalização é possível fornecer todo o suporte para que o tratamento tenha continuidade, mas em um ambiente pessoal, com mais conforto e praticidade.

Outras vantagens são:

– Maior segurança, pois reduz o risco de infecção hospitalar.

– Ter tratamento individualizado

– Fortalecimento do estado emocional do paciente, que poderá, seguindo as orientações, conviver normalmente com familiares e amigos.

Home Care

Cene significa Centro de Enfermagem Especializado. E o trabalho do Grupo Cene de São José do Rio Preto teve início em 1986, pelas mãos da enfermeira Sueli Noronha Kaiser, que é a presidente do Grupo.

Ela conheceu a nova tendência nos Estados Unidos, onde já existia a prática do home care, e pela sua rotina de trabalho no hospital, visualizou que a demanda também seria uma tendência no Brasil.

“Eu senti a necessidade da desospitalização, que é retirar o paciente do hospital o mais rápido possível, para que se possa utilizar os leitos cirúrgicos, que é o que o hospital realmente necessita, então visualizando esse mercado de trabalho começamos a preparar grupos de enfermagens para prestar o serviço nas residências. Assim é possível dar continuidade ao cuidado hospitalar humanizado, dentro de casa”, conta Sueli.

Para prestar a assistência humanizada é preciso ter pessoal qualificado, pessoas que tenham a arte do servir, do cuidar, e esse é um dos investimentos do Grupo Cene, por isso oferece treinamento qualificado para melhor capacitar sua equipe.

“Quando iniciamos a empresa há mais de 30 anos, era eu que fazia o treinamento, eu visitava o paciente, fazia as prescrições da enfermagem, ou seja, eu ia evoluindo junto com eles e ia vivendo junto com a equipe as necessidades de cada paciente, de cada diagnóstico”, relembra Sueli.

Mas a empresa vai além do olhar da humanização, e sua presidente destaca a importância de um tripé. “Tem que ter a humanização, a qualidade do atendimento e principalmente a segurança, dar segurança a essa família para que ela possa deixar o paciente em casa.”

Cenemed

A Cenemed Home Care foi uma das pioneiras neste serviço no Brasil, sendo hoje a maior empresa do segmento no Interior Paulista e uma das três maiores do país, atuando nas regiões Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste.

É reconhecida nacionalmente pela qualidade de seus profissionais e pelo atendimento humanizado e caloroso com todos os pacientes.

Sua estrutura conta com equipamentos modernos e atualizados, mobiliário, suprimentos, instrumentos médicos, medicamentos e uma equipe altamente qualificada e especializada em atendimento de home care, com médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas, fonoaudiólogos e outros profissionais da saúde.

Atualmente são mais de 1.500 pacientes em atendimento domiciliar

Depois do investimento de home care, o Grupo Cene investiu nas UTIs móveis, para atenderem a exigência da lei, porque não se pode ter um paciente em casa se não tiver uma estrutura para levá-lo do hospital pra casa, e de casa para o hospital, em casos de emergência.

“Eu sempre tive o sonho de ver o Grupo Cene crescer, muito pra oferecer mais oportunidade de trabalho, porque quanto mais pacientes atendidos, mais mão de obra vamos contratando. Hoje já estamos com quase 400 funcionários”, finaliza Sueli Kaiser.

Matéria publicada no portal Negócios em Foco

Leia na íntegra no portal: Clique aqui

Faça Um Cometário

Your email address will not be published.