fbpx

Infarto é a segunda causa de morte no Brasil: observe os sintomas e busque ajude

Infarto é a segunda causa de morte no Brasil:  observe os sintomas e busque ajude

Cerca de 85 mil óbitos por infarto agudo do miocárdio são registrados anualmente no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde.
Com isso, o problema se torna a segunda causa de mortes no país.
O infarto ocorre quando uma ou mais artérias que levam oxigênio ao coração são obstruídas abruptamente por um coágulo de sangue, formado em cima de uma placa de gordura.

Infarto pode ser fatal

O infarto pode ser fatal, por isso é fundamental procurar socorro diante dos primeiros sintomas.
O principal é a dor torácica que se apresenta de forma súbita, sobre o osso localizado no meio do peito, que pode irradiar para o braço esquerdo, costas e mandíbula.
Também é comum a vítima se queixar de falta de ar, suor excessivo, tontura, vômito, tosse e aumento da frequência cardíaca.
O atendimento imediato aumenta as chances de sobrevivência e uma recuperação com menos sequelas.
Se não for possível levar a pessoa, imediatamente, ao pronto socorro, acione um serviço de emergência que vá até o paciente.

Confirmação do diagnóstico

Para ter certeza do diagnóstico de infarto, o médico responsável pelo socorro do paciente fará a avaliação clínica seguida eletrocardiograma e exames de sangue.
Radiografia do tórax; ecocardiograma; ressonância magnética e teste ergométrico também podem se solicitados.
Diagnosticado o infarto, o tratamento começa imediatamente.
Serão indicados alguns medicamentos, de acordo com a avaliação médica.
Também podem ser necessários procedimentos como: angioplastia coronária com implante de stent ou cirurgia de revascularização miocárdica.

Fique atento

Mais de 50% dos infartos ocorrem em pessoas assintomáticas. Por conta disso, o check-up é tão importante.
Estão mais propensos a terem um infarto:
– pessoas com histórico familiar de infarto;
– homens com mais de 45 e mulheres com mais de 55 anos;
– pessoas que consomem álcool, drogas estimulantes como cocaína e são tabagistas;
– hipertensos, diabéticos e com colesterol elevado; e
– obesos e sedentários.

Prevenção

É possível prevenir o infarto e cabe a cada pessoa assumir esses cuidados.
O principal envolve a mudança de hábitos, ou seja: ter uma dieta balanceada, praticar atividade física, evitar a obesidade, controlar o colesterol e a glicemia, abandonar o cigarro e evitar bebidas alcoólicas.
Essas mudanças de hábitos também serão necessárias a quem sofrer um infarto.
Quem já passou pelo problema tem cinco vezes mais chances de ter um novo infarto.

Fontes: sites: Portal Brasil (link – Saúde); Minha Vida (link – Saúde); e Saúde Dica.

 

 

Faça Um Cometário

Your email address will not be published.