Dezenas de doenças estão associadas ao tabagismo: não fume e preserve sua saúde

Dezenas de doenças estão associadas ao tabagismo: não fume e preserve sua saúde

Fumar é uma doença, que causa dependência física, psicológica e comportamental.

Além da presença da nicotina, os fumantes inalam mais de 4.720 substâncias tóxicas, como: monóxido de carbono, amônia, cetonas, formaldeído, acetaldeído, acroleína, além de 43 substâncias cancerígenas, sendo as principais: arsênio, níquel, benzopireno, cádmio, chumbo, resíduos de agrotóxicos e substâncias radioativas.

Dados do Instituto Nacional de Câncer apontam que no Brasil, 428 pessoas morrem diariamente por causa da dependência a nicotina. Além disso, R$ 56,9 bilhões são desperdiçados a cada ano devido a despesas médicas e perda de produtividade. O maior peso é dado pelo câncer, doença cardíaca e doença pulmonar obstrutiva crônica.

Das mortes anuais causadas pelo uso do tabaco: 34.999 correspondem a doenças cardíacas; 31.120 mortes por doença pulmonar obstrutiva crônica; 26.651 por vários tipos de cânceres; 23.762 por câncer de pulmão; 17.972 mortes por tabagismo passivo; 10.900 por pneumonia; e 10.812 por acidente vascular cerebral.

De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 50 doenças estão relacionadas ao cigarro. Fumantes apresentam dez vezes mais chances de ter um câncer de pulmão e correm um risco cinco vezes maior de sofrer infarto, bronquite crônica e enfisema pulmonar.

O tabagismo também é fator de risco para o desenvolvimento de vários tipos de cânceres que são: leucemia mielóide aguda; bexiga; pâncreas; fígado; colo do útero; esôfago; rim e ureter; laringe (cordas vocais); cavidade oral (boca); faringe (pescoço); estômago; cólon e reto; traqueia, brônquios e pulmão.

Outras doenças ligadas diretamente ao tabagismo são: tuberculose, infecções respiratórias, úlcera gastrintestinal, impotência sexual, infertilidade em mulheres e homens, osteoporose e catarata.

 

Deixe o Tabaco

Ao deixar de fumar o organismo inicia uma recomposição e são notados benefícios como:

– Redução do risco de desenvolver câncer e ataques cardíacos;
– A respiração fica mais fácil e profunda;
– Renovação da sua energia e melhora do desempenho físico, mental e sexual;
– Mais disposição com menos resfriados e tosse;
– Após 20 minutos a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal;
– Depois de duas horas não há mais nicotina circulando no sangue do fumante;
– Em 8 horas, o nível de oxigênio no sangue se normaliza; e
– De 12 a 24 horas após o último cigarro, os pulmões já funcionam melhor.

É possível deixar o cigarro por conta própria, sem o auxílio de nenhum profissional específico. Mas no Brasil, o Sistema Único de Saúde oferece tratamento gratuito aos fumantes que desejam se afastar do vício e apresentam dificuldade em fazerem isso sozinhos.
Equipes multidisciplinares são treinadas para dar todo o suporte necessário aos que decidem deixar o vício.
Faça contato com a unidade de saúde mais próxima e informe-se sobre o há disponível em sua cidade.

Fontes: Biblioteca Virtual em Saúde/Ministério da Saúde; Instituto Nacional de Câncer; Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia.