Atenção ao comportamento das crianças: Pode ser Abuso. Disque 100 e denuncie

Atenção ao comportamento das crianças: Pode ser Abuso. Disque 100 e denuncie

Você conhece alguma criança que está desatenta na escola? Quieta ou agressiva?

Só em 2018, mais de 13 mil denúncias de abuso sexual contra crianças e adolescentes foram registradas no Disque 100. Isso significa que todos os dias, são feitas cerca de 35 denúncias. No entanto, o número pode ser bem maior quando considerado que muitos casos permanecem em segredo.

A campanha “Pode Ser Abuso” surgiu para quebrar este silêncio! Com o objetivo de alertar a sociedade para as consequências que o abuso sexual infantil causa às vítimas, a campanha leva para diversos locais os principais sinais que podem revelar possíveis casos de abuso contra crianças e adolescentes, bem como os traumas advindos da violação.

Abuso sexual é crime, denuncie! Disque 100. A ligação é gratuita e anônima. Se preferir, denuncie no Conselho Tutelar ou nas delegacias da sua cidade.

 

Abuso Sexual

É possível entender o abuso sexual infantil como qualquer ato ou relação sexual que busque estimular ou entrar em contato com a sexualidade da criança ou do adolescente, para estímulo, prazer ou satisfação sexual próprio ou de terceiros.

Para ser considerado abuso sexual não precisa, necessariamente, existir contato físico, visto que a violação pode se expressar de diversas formas. São elas:
Assédio sexual: Caracterizado por propostas de relações sexuais, em sua maioria, na posição de poder do agente sobre a vítima, que é chantageada e ameaçada pelo agressor;
* Abuso verbal: Pode ser definido por conversas abertas sobre atividades sexuais com o objetivo de despertar o interesse da criança ou do adolescente;
* Exibicionismo: Ato de mostrar os órgãos genitais ou se masturbar na frente de crianças e adolescentes ou no campo de visão deles;
* Voyeurismo: Ato de observar fixamente relações ou órgãos sexuais de outras pessoas e obter satisfação com a prática. Em uma relação entre adultos, esta pode ser uma prática consentida;
* Sedução: Conversas, carícias, objetos, brinquedos e outros instrumentos que despertem o interesse da criança ou do adolescente para acontecer o abuso sexual;
* Atentado violento ao pudor: Constranger alguém para praticar atos sexuais, utilizando violência ou ameaça;
* Estupro: Prática sexual na qual ocorre penetração vaginal e/ou anal;
* Coerção: Uso da força física ou ameaça para praticar o abuso sexual;
* Corrupção: Quando um indivíduo corrompe ou facilita a corrupção de um adolescente, entre 14 e 18 anos, mantendo com ele qualquer ato sexual, mesmo que não possua contato físico, ou induzindo-o a praticá-lo ou presenciá-lo.

 

Carícias inadequadas, chamadas telefônicas e mensagens de texto obscenas, interações digitais sexualizadas, mostrar fotos ou vídeos pornográficos, assim como fotografar crianças nuas, também são caracterizados como abuso sexual infantil.

 

Exploração Sexual

A exploração sexual de crianças e adolescentes se dá pela utilização sexual de crianças e adolescentes com a intenção de lucro ou troca — financeira ou de qualquer espécie.

Se expressa quando meninas e meninos são induzidos a manter relações sexuais com adultos ou adolescentes mais velhos, são usados (as) para a produção de materiais pornográficos ou quando são levados para outras cidades, estados e países com propósitos sexuais.

Como identificar situações de risco de exploração?

* Crianças e adolescentes em exposição do corpo;
* Uso de álcool e drogas;
* Ocorrências seguidas em órgãos policiais e sociais;
* Negação da condição de exploração;
* Horário de circulação nos locais públicos onde ocorrem as situações de exploração;
* Doenças sexualmente transmissíveis.

 

No entendimento legal, para ambas violações, não é válida nenhuma forma de consentimento entre as partes, pois tratam-se de menores de idade, sendo o adulto, em sua função de proteger e impedir situações deste tipo, sempre o responsável pelo crime.

Saiba Mais

18 de Maio é o dia Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Neste dia, em 1973, uma menina de 08 anos foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada, em Vitória (ES). Seu corpo apareceu seis dias depois, carbonizado, e os seus agressores nunca foram punidos. Com a repercussão do caso e a forte mobilização do movimento em defesa dos direitos das crianças e dos adolescentes. Desde então, esse se tornou o dia oficial para que a população brasileira se una e se manifeste contra este tipo de violência.

 

Fonte: Fundação Abrinq