Qualidade de vida: idosos devem manter-se ativos e em convívio social

Qualidade de vida: idosos devem manter-se ativos e em convívio social

As estatísticas estimam que, em 2050, serão 900 milhões de pessoas acima de 60 anos nas cidades.

Uma pesquisa realizada com mais de 900 idosos de aproximadamente 80 anos, em Illinois, nos Estados Unidades, durante cinco anos, relacionou o aumento da vida social com a melhor realização de uma gama de tarefas, incluindo andar em linha reta e girar em círculos sem perder o equilíbrio.

Os pesquisadores acreditam que, incentivar e motivar os mais velhos para se integrarem e movimentarem significa, também, preservar a lucidez.

O envelhecimento do corpo faz parte do processo natural, ainda assim é preciso que ele se mantenha ativo, assim como o cérebro.

Por isso é fundamental que, jamais, se isole um idoso do convívio social e familiar, e isso significa estimular os exercícios físicos e mentais.

Alguns especialistas dão a receita: ao invés de colocar alguém para cuidar do avô, dê algo para o avô cuidar, isso o manterá ativo e ocupado.

Idosos devem manter-se ativos

Manter-se ativo previne doenças degenerativas, como o Alzheimer e o Parkinson, melhorando a parte cognitiva e motora.

O isolamento, inclusive do idoso, pode leva à depressão, desencadeando diversas patologias, como desnutrição, processos infecciosos, desidratação, deterioração orgânica e muscular, entre outras.

Envelhecer não pode estar relacionado com a exclusão do convívio social. É fundamental entender que, mesmo em um ritmo menos acelerado, o idoso tem capacidade de interagir, de aprender e de escolher o que acredita ser melhor para si.

Obviamente que não estamos falando de pessoas que, infelizmente, estejam debilitadas e sem capacidade de tomar decisões, porém lembramos que a falta de mobilidade não deve ser aliada a incapacidade de tomar suas próprias decisões.

O segredo para a prevenção, ou mesmo tratamento, é focar na valorização da autonomia e individualidade.

Adaptar o cérebro a uma rotina pacata não é a melhor solução, porque ele acaba se entregando à preguiça.

Conviver em comunidade deixa o cérebro ativo e preserva a sua funcionalidade.

Os idosos precisam de atividades recreativas e oportunidades de aprenderem. Estudiosos afirmam que, nessa fase, se possui uma aprendizagem efetiva, onde é necessário investir em uma motivação adequada, e dedicar tempo para que eles possam assimilar as novidades.

Tecnologia e idosos

A tecnologia também é uma ferramenta importante para a socialização e aprendizagem dos idosos.

Tablets, celulares e computadores auxiliam no contato com o mundo moderno, trazendo que está fisicamente longe, para mais perto.

Se você é idoso, não abra mão das suas vontades, necessidades e direito de decidir sobre sua própria vida.

Esteja com seus amigos e familiares, não se isole. Vá passear no parque, bater papo, fazer cursos que lhe atraiam e viver de uma maneira que lhe pareça significativa.

Se você tem idosos no seu convívio, garanta que eles mantenham uma vida feliz, cercada de coisas e pessoas que lhe façam bem.

Fontes: Minha Vida (link – Alimentação); Minuto Saudável; Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro; Tribuna do Paraná

Faça Um Cometário

Your email address will not be published.