Novembro Azul:  homens também precisam da saúde e investir em exames de rotina

Novembro Azul: homens também precisam da saúde e investir em exames de rotina

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens do Brasil, fica atrás, apenas, do câncer de pele não-melanoma.

O Novembro Azul chama a atenção para a importância da prevenção e diagnóstico precoce da doença, pois quanto antes detectado e iniciado o tratamento, maiores são as chances de cura.

Assim como em outros tipos de câncer, não é possível precisar o fator determinante para o desenvolvimento da doença na próstata.

Porém, existem alguns fatores que aumentam o risco, entre eles estão:

  •   Idade avançada. Tanto a incidência como a mortalidade aumentam, significativamente, em pessoas com mais de 50 anos.
  •   Ter parentes de primeiro grau com a doença. Pai ou irmão que tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos pode significar risco de fatores genéticos, por isso redobre os cuidados. Homens de raça negra também têm uma predisposição maior para o desenvolvimento da doença.
  •   Obesidade/excesso de gordura corporal. Por isso a importância de ter hábitos alimentares saudáveis e praticar atividade física rotineiramente.
  •   Exposições a produtos químicos como: aminas aromáticas, arsênio, produtos de petróleo, motor de escape de veículo, hidrocarbonetos policíclicos aromático, fuligem e dioxinas.

 

Próstata e Sintomas

A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen, abaixo da bexiga e à frente do reto. Ela envolve a porção inicial da uretra, que é o canal que liga a bexiga ao orifício externo do pênis, por onde a urina é eliminada e o sêmen é liberado durante o ato sexual. Ela faz parte do sistema reprodutor masculino.

É comum que os casos iniciais não apresentem sintomas, por isso é fundamental manter a rotina de exames preventivos.

Mas quando os sintomas aparecem geralmente são:

  •   Dificuldade de urinar.
  •   Demora em começar e terminar de urinar.
  •   Sangue na urina.
  •   Diminuição do jato de urina, gotejamento após a micção e sensação de esvaziamento incompleto da bexiga (sintomas urinários obstrutivos).
  •   Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.
  •   Na fase avançada, pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

 

Prevenção e Diagnóstico Precoce

A prevenção do câncer de próstata está em manter distância dos fatores de risco, sempre que possível.

Além disso, tenha hábitos saudáveis que envolvem uma alimentação equilibrada e natural, pobre em gordura e rica em fibras, com a ingestão preferencial de verduras e legumes. E deixe de lado as opções ultra processadas.

Mantenha o corpo em movimento e invista em uma rotina de atividades físicas.

Fique atento ao consumo exagerado de álcool e deixe o tabagismo.

Os exames preventivos também são parte fundamental do cuidado com a saúde da próstata.

A Sociedade Brasileira de Urologia indica que homens, a partir dos 45 anos, sejam avaliados anualmente. Quem tem histórico familiar da doença, e homens de raça negra, devem iniciar cinco anos antes.

Fale com o seu médico, porque cada pessoa deve ter uma avaliação individualizada e o profissional, analisando o histórico pessoal de cada homem, poderá definir o melhor momento e com quais intervalos os exames devem ser realizados.

Os exames de rotina são o PSA (Antígeno Prostático Específico), que é a análise do sangue, verificando os níveis de uma proteína produzida pela próstata; e o toque retal, quando o médico, através do tato avalia as partes posterior e laterais da próstata.

Havendo evidências da doença, o diagnóstico do câncer de próstata é confirmado através da biópsia da próstata.

 

Tratamento

Com base no diagnóstico positivo e avaliação individualizada da extensão da doença e saúde do paciente, é indicado o tratamento mais adequado para cada caso.

Entre as opções possíveis estão: cirurgia, radioterapia, quimioterapia, terapia hormonal e até mesmo observação vigilante.

Os métodos podem ser aplicados de forma individual ou combinados entre si.

Lembre-se, o médico é seu aliado, por isso não tenha medo de esclarecer todas as suas dúvidas.

 

Fontes – Instituto Nacional de Câncer; Oncoguia; Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária); Sociedade Brasileira de Urologia; e Portal da Urologia.