fbpx
SEGURANÇA NO TRABALHO É DEVER DE TODOS

SEGURANÇA NO TRABALHO É DEVER DE TODOS

Números do Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho, do Ministério Público do Trabalho, demonstram a gravidade do problema no Brasil. Entre 2012 e 2020 foram registrados 6 óbitos a cada 100 mil empregados formais. São dados que coloca o Brasil numa lista desconfortável: o segundo país do G20 em número de mortes no trabalho, atrás apenas do México.

Na maioria das vezes, são acidentes que poderiam ser evitados com mais conscientização, tanto por parte das empresas como, principalmente por parte dos colaboradores, em todas as áreas de atuação.

Setores da saúde são os que, historicamente, mais notificam os órgãos públicos por acidentes de trabalho. Entre as ocupações mais informadas nos registros estão: técnicos de enfermagem (9%), faxineiros (5%), auxiliares de escritório (3%), vigilantes (3%), vendedores de comércio varejista (3%) e alimentadores de linha de produção (3%).

Pesquisas apontam que a maioria desses acidentes ocorre por falhas na utilização de equipamentos de EPI, ou falta dele, e também por práticas inseguras de execução. Nesses momentos as empresas devem atuar com medidas e ferramentas utilizadas no sentido de prevenção, que podem seguir a seguinte ordem: medidas de proteção coletiva; medidas administrativas ou de organização do trabalho; e medidas de proteção individual.

São diversas as formas de tornar essa conscientização eficaz, entre elas os treinamentos, as inspeções de rotina, ckecklist, comunicação visual, entre outros. Cabe a cada empresa e cada colaborador descobrir a melhor forma e a mais eficiente para esse fim.

Mesmo os trabalhadores autônomos precisam criar protocolos de segurança para o dia a dia do trabalho, visando a sua segurança e a do próximo.

Fonte: https://smartlabbr.org/sst