fbpx
#ABRILAZULESCURO – CONHEÇA MAIS SOBRE O AUTISMO

#ABRILAZULESCURO – CONHEÇA MAIS SOBRE O AUTISMO

A falta de informação é um mau que atinge vários setores da nossa sociedade e, quando falamos de saúde, ela pode significar a diferença entre uma vida digna, ou o isolamento. Por isso, o conhecimento é ferramenta tão importante para aprendermos a lidar com algumas questões que não deixarão de existir apenas porque fechamos os olhos.

Um deles é o preconceito, de vários tipos e níveis. Entre eles, o por pessoas que convivem com o autismo.

E se você está lendo esse texto é porque deseja adquirir um pouco mais de conhecimento sobre a condição.  Então, a primeira coisa a ser dita é que autismo não é uma doença, e sim uma condição neurológica que altera o desenvolvimento e o comportamento social, classificado como TEA (Transtorno do Espectro Autista) que, do ponto de vista clínico, pode ser tratado com o objetivo de readequar o indivíduo para o convívio social.

Também é importante saber que o autista nem sempre tem um rosto, ou seja, o indivíduo pode ter uma vida normal, mas não deixando de ser autista. Em alguns casos, o transtorno pode se revelar, mesmo que de longe, pela postura, expressões faciais e comportamentos. Dito isso, é possível imaginar que existem vários níveis de autismo em maior, ou menor grau de gravidade.

O número de pessoas consideradas autistas no Brasil também é grande. São cerca de 2 milhões, sendo que entre 400 e 600 mil tenham menos de 20 anos de idade e entre 120 e 200 mil sejam menores de 5 anos, segundo o site autismoemdia.com.br.

Perante a lei, a pessoa com autismo tem os mesmos direitos de todos os cidadãos e cabe a nós a conscientização para que essas pessoas sejam incluídas em escolas, grupos sociais, e para os de grau mais leve, nas universidades e no mercado de trabalho.

O Grupo Cene apoia o movimento #AbrilAzulEscuro de conscientização sobre o autismo, transtorno que afeta cerca de 70 milhões de pessoas em todo o mundo.

Fonte: autismoemdia.com.br