Agosto Branco: tabagismo é o principal fator de risco para o câncer de pulmão

Agosto Branco: tabagismo é o principal fator de risco para o câncer de pulmão

No Brasil, o câncer de pulmão é o segundo mais comum em homens e mulheres, isso quando não se conta o câncer de pele não melanoma.

Estimativas do Instituto Nacional de Câncer apontam cerca de 31 mil novos casos de câncer de pulmão, para 2020, sendo 60% em homens e 40% em mulheres.

Ser fumante, ou mesmo um fumante passivo, é o principal fator de risco para se desenvolver um câncer de pulmão.

Em aproximadamente 85% dos casos diagnosticados, o câncer de pulmão está associado ao consumo de derivados de tabaco.

Também é importante destacar que, a mortalidade por câncer de pulmão entre fumantes é cerca de 15 vezes maior do que entre pessoas que nunca fumaram.

Outros fatores de risco para o câncer de pulmão são: estar exposto à poluição do ar; ter repetidas infecções pulmonares; deficiência ou excesso de vitamina A; ter doenças pulmonares como enfisema e bronquite crônica; exposição a agentes químicos e físicos e fatores genéticos.

Ter idade avançada é outro fator a ser considerado diante de um câncer de pulmão, já que a doença atinge especialmente pessoas entre 50 e 70 anos.

O risco de ocorrência do câncer de pulmão e de morte pela doença aumenta quanto maior a intensidade da exposição ao tabagismo.

A melhor maneira de prevenir um câncer de pulmão é ficar longe dos fatores de risco, ou seja: não fumar, evitar ambientes com fumantes, ter hábitos saudáveis, evitar contato com agentes químicos e fazer exames preventivos regularmente.

 

Sintomas e Diagnóstico

Na maioria dos casos os sintomas aparecem depois do câncer estar em estágio avançado. Quando eles dão sinal inicialmente geralmente são: tosse persistente, escarro com sangue, dor no peito, rouquidão, piora da falta de ar, perda de peso e de apetite, pneumonia recorrente ou bronquite, sentir-se cansado ou fraco.

Quando detectado de forma precoce, maiores as chances de cura do câncer de pulmão.

O diagnóstico acontece por exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos (raio-X do tórax, complementado por tomografia computadorizada; e broncoscopia), em pessoas com  sintomas que sugerem a doença, ou através de exames periódicos em pessoas que pertencem aos grupos com maior chance de ter a doença.

 

Tratamento

O tratamento do câncer de pulmão conta com equipe multidisciplinar: oncologista, cirurgião torácico, pneumologista, radioterapeuta, radiologista intervencionista, médico nuclear, enfermeiro, fisioterapeuta, nutricionista e assistente social.

Pessoas que têm a doença localizada no pulmão e nos linfonodos fazem radioterapia e quimioterapia ao mesmo tempo.

Para pacientes que apresentam metástases a distância, o indicado é o tratamento de quimioterapia ou, em casos selecionados, com medicação baseada em terapia alvo.

Como em outros tipos de câncer, a escolha do tratamento do câncer de pulmão depende do tipo histológico e do estágio da doença.

 

Palavra-chave – câncer de pulmão

Fonte – Inca – Instituto Nacional de Câncer/Ministério da Saúde