Câncer de mama: manter rotina de mamografia faz parte do diagnóstico precoce

Câncer de mama: manter rotina de mamografia faz parte do diagnóstico precoce

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) recomenda a mamografia de rotina, a cada dois anos, para mulheres saudáveis e assintomáticas, com idade entre 50 a 69 anos.

Já as mulheres que apresentam histórico familiar de câncer de mama, devem iniciar a rotina de mamografia pelo menos 10 anos antes da idade em que o familiar apresentou a doença, de acordo com a Sociedade Brasileira de Mastologia.

A mamografia é fundamental para o diagnóstico precoce do câncer de mama. O exame consegue detectar lesões muito pequenas (menores que um centímetro), sendo benignas ou cânceres, antes que elas possam ser percebidas durante o autoexame ou exames clínicos.

É importante destacar que, como cada mulher é única e tem suas particularidades, o ideal é fazer exames de rotina com seu médico de confiança e seguir as orientações dele quanto ao momento certo de realizar a mamografia.

Mamografia

A mamografia é um exame de imagem, feito em um aparelho de raios X, o mamógrafo.

São utilizadas duas placas para comprimir a mama, de modo que o tecido seja distribuído e se obtenha a imagem usando menos radiação.

A diferença entre a mamografia convencional e a digital é quanto a obtenção e armazenamento da imagem. Na convencional as imagens são impressas em filmes radiográficos, e na digital são gravadas e armazenadas em arquivos no computador.

Mulheres que já fizeram mamografia anteriormente devem levar os resultados quando forem fazer um novo exame.

Apesar de não exigir uma preparação específica, muitas mulheres reclamam do incômodo ao fazer a mamografia. Uma dica que pode ajudar é marcar o exame para uma, ou duas semanas após a menstruação, quando as mamas costumam não estar tão sensíveis.

Também é importante lembrar que, cada incidência mamográfica dura apenas alguns segundos, ou seja, é um desconforto que passa rápido.

Antes da realização da mamografia não utilize hidratante, talco ou desodorante.

Para facilitar o exame, que precisa que as mulheres tirem a roupa da parte de cima do corpo, o ideal é evitar peças únicas. Ao optar por duas peças, fica mais fácil de tirar, além de ser mais confortável.

Antes de iniciar a mamografia é importante avisar ao técnico que irá realizar o exame:

  • Se possui implantes mamários, para que seja utilizada incidências mamográficas adicionais;
  • Se tem verrugas, cicatrizes cirúrgicas, queimaduras, alergias e, caso tenha realizado uma biópsia de mama, para que seja feito o diagnóstico correto das alterações;
  • Caso tenha a suspeita de uma gravidez ou esteja amamentando;
  • Sobre rigidez muscular ou limitação de movimentos que possam dificultar o posicionamento correto da mama.

Lembre-se sempre: o câncer de mama é o que mais afeta as mulheres brasileiras.

Quanto antes é descoberto, mais fácil e eficiente é o tratamento, aumentando as chances de cura. Fale com o seu médico.

Fontes: Instituto Nacional de Câncer; Sociedade Brasileira de Mastologia; Instituto Oncologia e Minha Vida (link – Saúde)