fbpx
Conheça os principais fatores que desencadeiam alergias e fique longe deles

Conheça os principais fatores que desencadeiam alergias e fique longe deles

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, atualmente, cerca de 40% da população de países industrializados sofrem com alergias.

A Associação Brasileira de Alergia e Imunologia explica que: as alergias são uma resposta exagerada do sistema imune a determinadas substâncias.

As alergias podem ser causadas por: ácaros, mofo, fungos, insetos, alimentos, pólen, pelos de animais, medicamentos, entre outros fatores.

 

Alergias

As alergias estão ligadas a herança genética, mas só são desencadeadas com a exposição a fatores ambientais.

Em algum momento o organismo identifica determinada substância como estranha e começa a desenvolver anticorpos, iniciando o processo alérgico.

Ou seja, a alergia pode ser desenvolvida a qualquer momento.

Para amenizar as reações é preciso, primeiramente, reconhecer os fatores desencadeantes e evitá-los.

A gravidade varia de uma pessoa para outra, indo de uma pequena ou média irritação a anafilaxia, que pode ser fatal.

 

Sintomas

Conheça os principais sintomas para as alergias:

  •   alimentares: formigamento na boca; inchaço dos lábios, língua, face ou garganta; urticária; e anafilaxia.
  •   de pele: vermelhidão, coceira e bolinhas brancas ou avermelhadas na pele.
  •   nasais: espirros; coceira no nariz, olhos ou céu da boca; nariz escorrendo ou entupido; e olhos lacrimejantes.
  •   respiratórias: dificuldade de respirar; falta de ar; respiração pela boca, rápida ou sibilante.
  •   oculares: vermelhidão no olho e pálpebra; coceira; inchaço da conjuntiva; irritação; olhos inchados com secreção ou secura.
  •   picadas de insetos: vermelhidão e inchaço do membro afetado; dor ou coceira intensa no local; saída de um líquido transparente no local da picada.

 

Diagnóstico e tratamento

Como forma de evitar reações graves é preciso que, diante de sintomas de alergias, a pessoa procure auxílio médico.

Para diagnosticar alergias é feito histórico clínico, exame físico e, se necessário, exames complementares como:

  •   testes cutâneos;
  •   exames laboratoriais, como a dosagem de IgE total e IgE específica no sangue;
  •   diagnóstico por imagem; e
  •   dietas de eliminação.

 

Embora não exista cura para a maioria das alergias, é possível controlá-las.

A partir do diagnósticos o médico poderá indicar:

  •   medicamentos (anti-histamínicos; corticóides;  e vasoconstritores); e
  •   medidas de controle ambiental (ambientes arejados e limpos; troca regular de colchões e travesseiro; manter limpas as roupas de cama e de uso pessoal; ficar distantes de fumaça de cigarro, odores e umidade e distância do fator desencadeante de alergia).

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o uso das vacinas com alérgenos está indicado em pacientes que apresentam reações alérgicas graves.

 

Anafilaxia

A anafilaxia é uma reação alérgica grave.

Uma das suas manifestações mais conhecidas é o edema de glote, que pode levar ao risco de morte.

Os sintomas mais comuns são: placas vermelhas na pele, falta de ar, chiado no peito, cólicas abdominais, aceleração cardíaca, alteração da pressão arterial, podendo evoluir para choque e óbito.

Um dos medicamentos de emergência para quem tem histórico de anafilaxia é a adrenalina.

Mas atenção, ela só deve ser administrada sob prescrição médica.

 

Fontes: Biblioteca Virtual em Saúde/ Ministério da Saúde; Associação Brasileira de Alergia e Imunologia; Minha Vida (link – Saúde); Bonde (link – Saúde); Biosom (link – Saúde)