#VamosCombinar incentiva o uso da camisinha no Carnaval

#VamosCombinar incentiva o uso da camisinha no Carnaval

No Carnaval 2018 o Ministério da Saúde irá distribuir mais de 100 milhões de camisinhas em todo o País.

O tema da campanha de conscientização é “Prevenir é Viver o Carnaval #VamosCombinar”.

É fundamental ressaltar que, o uso da camisinha não previne apenas a contaminação pelo HIV, mas também outras doenças sexualmente transmissíveis, além de uma gravidez indesejada.

Com o tema da Campanha, o Ministério da Saúde visa que os foliões, juntamente com seus parceiros, se conscientizem da importância de usar a camisinha durante o ato sexual.

Durante todo o mês de fevereiro serão distribuídas 106 milhões de camisinhas masculinas e 200 mil femininas.

Também serão distribuídas 3,8 milhões de unidades de gel lubrificante.

Camisinha

Atualmente, os jovens são os que menos usam camisinha.

Dados da Pesquisa de Conhecimento, Atitudes e Práticas apontam queda no uso regular de camisinhas entre a faixa etária de 15 a 24 anos, tanto com parceiros eventuais – de 58,4% em 2004 para 56,6%, em 2013 – como com parceiros fixos – queda de 38,8% em 2004 para 34,2% em 2013.

A Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (Pense) realizada nas escolas brasileiras com adolescentes de 13 a 17 anos, reforça esse cenário: 35,6% dos alunos não usaram camisinhas em sua primeira relação sexual.

O mesmo estudo aponta que, quanto mais jovem, menor é o uso da camisinha.

Enquanto 31,8% dos jovens de 16 e 17 anos não usaram preservativos em sua primeira relação sexual, esse índice sobe para mais de 40% entre os jovens de 13 a 15 anos.

O hábito de não usar camisinha tem impacto direto no aumento de casos de e AIDS entre os jovens.

No Brasil, a epidemia avança na faixa etária de 20 a 24 anos, na qual a taxa de detecção subiu de 14,9 casos por 100 mil habitantes, em 2006, para 22,2 casos em 2016.

Entre os jovens de 15 a 19 anos, o índice aumentou, passando de 3,0 em 2006 para 5,4 em 2016.

AIDS

Atualmente são cerca de 830 mil pessoas vivendo com HIV/AIDS no Brasil.

Entre elas estão 694 mil pessoas diagnosticadas e 548 mil em tratamento.

Estima-se que 136 mil pessoas ainda não sabem que estão com HIV e 196 mil sabem e não estão tratando.

A taxa de detecção de casos de AIDS era de aproximadamente 18,5 casos a cada 100 mil habitantes, em 2016.

Fonte – Portal da Saúde/Ministério da Saúde.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.