Asma pode ser controlada com tratamento adequado e mudança de hábitos

Asma pode ser controlada com tratamento adequado e mudança de hábitos

A asma é uma das doenças respiratórias crônicas mais comuns.

Os principais sintomas da asma são: dificuldade de respirar, chiado e aperto no peito, respiração curta e rápida.

Eles geralmente pioram à noite e nas primeiras horas da manhã.

Prática de exercícios físicos, exposição a alergênicos, poluição ambiental e mudanças climáticas também podem ajudar a desencadear uma crise.

De acordo com o portal “Vencer a Asma”, 300 milhões de pessoas têm a doença em todo o mundo.

E pior, a asma causa 180 mil mortes anualmente.

Estima-se que no Brasil existam aproximadamente 20 milhões de asmáticos. A asma é uma causa importante de faltas escolares e no trabalho.

Atualmente, com a melhor compreensão da doença e o tratamento mais acessível, registrou-se uma queda de 49% de internações e mortes por asma no Brasil, em uma década.

Asma

A asma causa o estreitamento dos bronquíolos (pequenos canais de ar dos pulmões), dificultando a passagem de ar.

Quando os bronquíolos inflamam, segregam mais muco, o que aumenta o problema respiratório.

Com a asma é mais difícil expirar do que inspirar, uma vez que o ar viciado permanece nos pulmões, provocando sensação de sufoco.

A asma pode atingir pessoas de qualquer idade, mas geralmente é diagnosticada na infância.

O fator hereditário é bastante importante, sendo comum que pessoas de uma mesma família tenham asma.

O diagnóstico de asma é feito por anamnese (conversa entre paciente e médico). Também são feitos exames físicos e de função pulmonar (espirometria).

Evite se Expor

As crises de asma se manifestam por vários gatilhos, veja os principais e mantenha-se distante:
– ácaros: eles pioram a inflamação dos brônquios e podem ser encontrados onde há acúmulo de poeira, como: colchões e travesseiros, carpetes, bichos de pelúcia, móveis e papéis.

– fungos: encontrados especialmente em ambientes escuros, úmidos e mal ventilados.

– polens: aumentam a inflamação dos brônquios e estão nas flores, gramas e árvores.

– animais de estimação: os pelos de animais podem piorar a asma, mas o grau e a frequência da exposição é que determinarão os sintomas. A descamação da pele deles, saliva e urina também podem atingir os asmáticos.

– fezes de baratas: aumenta a inflamação dos brônquios

– fumaça de cigarro: além de aumentar os sintomas também pode aumentar a inflamação dos brônquios.

– infecções virais: especialmente os vírus da gripe e do resfriado comum.

– poluição: do ambiente em geral e do ambiente de trabalho.

– exposição ao ar frio: ar muito frio e seco (como no inverno) pode irritar os brônquios do asmático.

Tratamento

A asma não tem cura. O objetivo do tratamento é a melhora da qualidade de vida do portador, estabilizando sua função pulmonar.

O tratamento da asma é definido pelos sintomas e avaliação funcional do paciente.

Independe do caso é fundamental que se reduza ao máximo a exposição aos fatores que desencadeiam as crises.

A parte medicamentosa envolve remédios de manutenção e de alívio.

Quando se fala em asma muitas pessoas já pensam nas chamadas bombinhas, que são as medicações inalatórias. É importante esclarecer que, elas não viciam e não fazem mal para o coração.

Alguns aparelhos também são bastante eficientes para ajudar quem tem asma:

Respiron e Shaker: indicados para quadros de hipersecreção associados a infecções pulmonares e asma.

Oxigenoterapia (concentradores e cilindros de oxigênio) e inaladores: indicados para distúrbios respiratórios em geral.

Fontes: Portal do Ministério da Saúde; Vencer a Asma; Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia: e Drauzio Varella (link – Doenças e Sintomas).

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.