Hipertensão atinge 30 milhões de brasileiros e pode levar à várias outras doenças

Hipertensão atinge 30 milhões de brasileiros e pode levar à várias outras doenças

A hipertensão, a popular pressão alta, atinge 30 milhões de brasileiros segundo dados do Ministério da Saúde. 

É uma doença crônica, ou seja, não pode ser curada, mas é possível controlá-la.

A hipertensão é chamada de doença democrática, pois pode atingir qualquer pessoa, independente de sexo, idade e raça.

Porém, é mais comum nos maiores de 60 anos, e estima-se que 50% desse público seja hipertenso.

Outros fatores de risco são: hereditariedade, excesso de peso, sedentarismo, má alimentação, uso de álcool e tabaco e estresse.

A hipertensão faz o coração exercer um esforço maior do que o normal para fazer com que o sangue seja distribuído corretamente no corpo.

A doença é responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal.

Na maioria das pessoas a hipertensão não apresenta sintomas, o que dificulta ainda mais seu diagnostico.

Em geral, os sintomas só aparecem em casos graves de hipertensão, ou quando ela se prolonga sem ser tratada.

Nesses casos é comum que a pessoa se queixe de: dores de cabeça, vômito, falta de ar, agitação e visão borrada em decorrência de lesões que afetam o cérebro, os olhos, o coração e os rins.

O indicado é medir a sua pressão com frequência, trimestralmente é o mais adequado, e havendo alterações, procurar um médico.

Hipertensão

O diagnóstico da hipertensão é feito através da medição.

Ela deve ser aferida com o paciente na posição sentada, respeitando um período de repouso de cinco minutos.

Medidas com valores iguais ou superiores a 140/90 mmHg (14 por 09) são consideradas altas.

Muitas vezes são necessárias várias leituras para estabelecer o diagnóstico. Inclusive em mais de um dia.

Para ter certeza da gravidade da hipertensão, é comum o médico pedir a monitorização ambulatorial de pressão arterial (MAPA) ou monitorização residencial de pressão arterial (MRPA).

O tratamento é medicamentoso, e inclui também mudança de hábitos focada em maior qualidade de vida.

O Sistema Único de Saúde oferece, gratuitamente, medicamentos para o controle da hipertensão.

Evite a hipertensão

Alguns comportamentos são bastante eficazes quando o assunto é prevenir a hipertensão:
– pratique atividades físicas (150 minutos semanais);
– mantenha o peso ideal, evite a obesidade;
– adote uma alimentação saudável, rica em frutas e verduras e com pouco sal;
– reduza o consumo de álcool;
– deixe o cigarro;
– evite o estresse; e
– siga as orientações do seu médico.

Fontes: Blog da Saúde/Ministério da Saúde e Sociedade Brasileira de Hipertensão

Faça Um Cometário

Your email address will not be published.