Demora em diagnosticar e tratar o diabetes pode levar a complicações irreversíveis

Demora em diagnosticar e tratar o diabetes  pode levar a complicações irreversíveis

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Diabetes, atualmente, o Brasil conta com mais de 13 milhões de pessoas com diabetes.

O mais preocupante é que muitos portadores da diabetes não tem consciência, e nem fazem o tratamento adequado.

Quanto mais tempo se demora em diagnosticar a tratar o diabetes, maior o risco de desenvolver complicações, muitas vezes irreversíveis.

Chamado de diabetes mellitus trata-se de uma síndrome metabólica de origem múltipla, decorrente da falta de insulina ou incapacidade da insulina exercer adequadamente sua função.

A insulina é um hormônio que controla a quantidade de glicose no sangue. Se a glicose fica alta por muito tempo pode haver danos em órgãos, vasos sanguíneos e nervos.

Diabetes

O diabetes pode ser dividido em:
* tipo 1 – atinge cerca de 10% das pessoas com diabetes. Acontece quando o pâncreas deixa de produzir insulina. É mais comum ser detectado em crianças e adultos jovens. Precisa da aplicação de insulina para ser controlado.
* tipo 2 – atinge cerca de 90% das pessoas com diabetes. É mais comum em adultos, embora tenha crescido entre crianças e adolescentes. Além de predisposição genética, esse tipo de diabetes depende de fatores ambientais, como sedentarismo e excesso de peso.
* diabetes gestacional – quando ocorre pode causar danos para a saúde da mãe e do bebê. Na maioria dos casos desaparece após a gestação, porém, metade dessas mulheres ficam mais suscetíveis a apresentar diabetes tipo 2, nos próximos 10 anos após a gestação.

Sintomas e Diagnóstico

Em muitos casos o diabetes não apresenta sintomas.

Mas é importante ficar atento para: sede excessiva, perda de peso sem que exista uma dieta prévia, aumento importante na vontade de urinar e na quantidade de urina, fraqueza e visão turva.

Fazer exames regulares e manter o acompanhamento médico ajuda a ter um diagnóstico precoce, e evita que o diabetes cause outros danos a saúde.

O diabetes é diagnosticado através do exame de sangue, onde é feita a dosagem de glicemia.

As taxas de glicemia consideradas normais são:
– após jejum de 8 horas não deverá ultrapassar os 100 mg/dL;
– duas horas após uma refeição não deverá ultrapassar 140 mg/dL.
Quando aparece variações, o médico poderá solicitar exames complementares, para fechar o diagnóstico.

Complicações

Quando o diabetes não é devidamente controlado ela leva a outras complicações, como:
– Doença renal, afetando a capacidade de filtragem dos rins.
– Problemas oculares como catarata, glaucoma e retinopatia diabética.
– A pele dos pés de quem tem diabetes, que geralmente é seca, pode favorecer o aparecimento de feridas. Já a redução do fluxo de sangue para os pés pode levar a amputações.

Tratamento

Ainda não há cura para o diabetes tipo 1, mas é possível ter um controle e viver com qualidade. Aliar o uso da insulina, algumas vezes com outros medicamentos, além de manter um estilo de vida saudável, com alimentação equilibrada e uma rotina de atividades físicas é o que, em geral, recomenda-se.

No caso do diabetes tipo 2, dependendo da avaliação clínica de cada pessoa, pode bastar a mudança de estilo de vida, com alimentação adequada, pratica de exercícios físicos e perda de peso. Em outros casos podem ser indicados medicamentos, em comprimidos ou injetáveis, como a própria insulina.

Fontes: Sociedade Brasileira de Diabetes; Biblioteca Virtual em Saúde/Ministério da Saúde; e Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Faça Um Cometário

Your email address will not be published.