Entenda porque as altas temperaturas aumentam o risco de intoxicação alimentar

Entenda porque as altas temperaturas aumentam o risco de intoxicação alimentar

Em geral, uma intoxicação alimentar não costuma causar grandes danos, mas existem casos graves, que podem levar a uma internação, e até mesmo ao óbito.

A intoxicação alimentar é nome popular da gastroenterocolite, sendo mais comum no verão.

A principal causa da intoxicação alimentar é a ingestão de água ou alimentos contaminados por micro-organismos.

Temperaturas mais altas aumentam as chances de comprometer a conservação dos alimentos, ampliando o risco de proliferação dos micro-organismos nocivos à saúde, como bactérias (salmonela e estafilococos) e vírus (rotavírus).

É importante redobrar os cuidados para conservação dos alimentos, e ficar ainda mais atendo ao consumir algo fora de casa, especialmente em barracas de praia.

Sintomas

Os sintomas mais comuns da intoxicação alimentar são náusea, vômito, diarreia, dor abdominal, podendo apresentar também febre, fraqueza e desidratação. Eles podem aparecer logo após a ingestão do que estava contaminado, ou até mesmo dias depois.

A duração de uma intoxicação alimentar também varia bastante, indo de um a 10 dias.

Em geral, a recuperação exige repouso e hidratação, seja através da ingestão de líquido, soro fisiológico ou soro via venoso.

É importante ficar atento a como o seu corpo está reagindo e se perceber que o quadro não melhora, ou que piora, o ideal é procurar orientação médica.

O tratamento para intoxicação alimentar depende da gravidade dos seus sintomas. Para alguns casos pode ser indicado o uso de antibióticos.

Proteja-se da Intoxicação Alimentar

Separamos uma série de cuidados que você deverá ter para manter-se longe da intoxicação alimentar:

– verifique a origem do alimento que irá consumir. O mesmo vale para água e sucos naturais;

– ao consumir alimentos industrializados fique atento para: prazo de validade e integridade da embalagem, que não deve estar amassada ou rasgada;

– o simples fato de lavar bem as mãos antes de comer ou preparar alimentos diminui consideravelmente o risco de uma intoxicação alimentar;

– esteja atento para consumir apenas o que está refrigerado ou aquecido adequadamente, tudo que fica em temperatura ambiente oferece maior risco;

– prefira alimentos frescos e lembre-se de higienizá-los adequadamente, uma opção é o uso da solução de hipoclorito de sódio;

– evite: carne crua e mal passada; leite que não esteja devidamente pasteurizado; e preparos que levam ovos crus.

Cuidados na praia

Quem está na praia precisa ficar atento ao consumo de:

– queijo coalho (feito com leite não pasteurizado, deve ser evitado);

– camarão (é importante analisá-lo ainda cru, para checar se está devidamente fresco);

– raspadinha (o maior problema é a procedência da água que faz o gelo, se não tiver certeza, não consuma);

– milho cozido (é uma opção segura se tiver totalmente imerso em água e soltando vapor. Prefira comer diretamente da espiga);

– ao comprar bebidas de ambulantes passe a embalagem em água corrente e depois seque com um guardanapo descartável.

Fontes – Brasil Escola; Minha Vida (link – Saúde); Vila Mulher (link – Bem-Estar); e Blog do Nove.

Faça Um Cometário

Your email address will not be published.