Pessoas com Síndrome de Down devem ser estimuladas desde bebês

Pessoas com Síndrome de Down devem ser estimuladas desde bebês

Ter Síndrome de Down é uma condição, não uma doença.

Trata-se de uma ocorrência genética onde a pessoa, ao invés de nascer com duas cópias do cromossomo 21, nasce com três cópias.

Esse cromossomo a mais é responsável por algumas características físicas e maior prevalência de certos problemas de saúde.

Síndrome de Down

Pessoas com Síndrome de Down têm maior risco de sofrer cardiopatias congênitas, malformações em órgãos internos, hipotireoidismo, determinados tipos de leucemia, doença celíaca, surdez e alterações oculares, além de alterações em ossos do pescoço.

Cerca de 50% das crianças com Síndrome de Down apresentam problemas cardíacos. Alguns necessitam de cirurgia nos primeiros anos de vida.

Atualmente, segundo o Ministério da Saúde, o Brasil conta com cerca de 270 mil pessoas com Síndrome de Down.

Diagnóstico Precoce

É possível diagnosticar a Síndrome de Down durante o pré-natal, seja através da amniocentese (pulsão transabdominal do liquido amniótico entre as semanas 14 e 18 de gestação) ou a biópsia do vilo corial (coleta de um fragmento da placenta).

Recentemente a prática médica tem incorporado métodos para a determinação do risco de ter um filho com Síndrome de Down, como por exemplo, o exame bioquímico, que se realiza mediante a avaliação dos níveis de substâncias químicas no sangue materno, entre a semana 14 e 17, que no caso da Síndrome se apresentam alteradas.

10 coisas que todo mundo deve saber sobre Síndrome de Down

– Síndrome de Down não é doença.

– As pessoas com Síndrome de Down não são todas iguais.

– Pessoas com Síndrome de Down têm deficiência intelectual.

– As pessoas têm Síndrome de Down, não são portadores de Síndrome de Down.

– A pessoa é um indivíduo. Ela não é uma deficiência.

– Pessoas com Síndrome de Down têm opinião.

– Pessoas com Síndrome de Down não devem ser tratadas como coitadinhas.

– De perto, ninguém é normal.

– Direito constitucional à inclusão e cidadania.

– Por que a terminologia é importante.

Estímulo

Embora ainda sejam comuns alguns questionamentos sobre a capacidade das pessoas com Síndrome de Down, elas são cheias de potencialidades.

Quanto mais uma pessoa com essa condição é estimulada e motivada, maior será o desejo de aprender e crescer.

É cada vez mais comum encontrar pessoas com Síndrome de Down que estudam e trabalham, além de manterem uma vida social e amorosa comum.

É fundamental que o estímulo a quem tem Síndrome de Down seja dado desde bebê.

Terapias para estimular o desenvolvimento motor, como fisioterapia; e para estimular a fala, como a fonoaudiologia, são opções bastante usuais.

Fontes – Portal Movimento Down; e Portal Fundação Síndrome de Down.

Faça Um Cometário

Your email address will not be published.